CONECTE-SE CONOSCO

Brasília

Conheça o calendário de florações no Distrito Federal

Cadê Brasília

Publicado

Em

Brasília é conhecida pela grande quantidade de árvores e abundância de flores que trazem cor para a capital. Desde a inauguração da capital, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) realiza a manutenção das diferentes espécies espalhadas nas regiões administrativas (RAs). Só no Plano Piloto, são 1,5 milhões de árvores plantadas, garantindo sombra para amenizar o calor do Cerrado e nas superquadras funcionam como barreira para o barulho que vem do comércio. Há um calendário de árvores que florescem durante o ano todo no Distrito Federal.

“Brasília tem flores o ano todo”, explica o diretor do Departamento de Parques e Jardins da Novacap, Raimundo Silva. “Todas as espécies produzem flores. Algumas passam despercebidas; outras, não.” Ipê, cambuí, paineira, flamboyant, jequitibá, jacarandá, quaresmeira e sapucaia são apenas algumas dessas árvores que colorem as ruas da cidade de amarelo, rosa, vermelho, branco e roxo de janeiro a dezembro. O urbanista Lúcio Costa desenvolveu o projeto da construção do Plano Piloto reforçando a harmonia entre os monumentos e espaços arquitetônicos com ambientes floridos em grandes áreas verdes. Segundo o pioneiro da arquitetura modernista no Brasil, a cidade foi concebida para ter “prédios nascendo como da clareira de uma floresta.”

O ano começa com a florada amarelo-alaranjada do cambuí, em janeiro. São cerca de 350 mil árvores do tipo espalhadas pelo DF, com maior concentração às margens da Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia), na altura do Setor de Oficinas Norte (SOF Norte), próximo à Vila Planalto, na via L4 Norte, e em frente ao Quartel General do Exército.

De fevereiro a junho, as tonalidades de cor-de-rosa, mais clara ou mais escura, recobrem as cerca de 150 mil paineiras plantadas em todas as regiões administrativas. A espécie também é chamada de barriguda, por causa das saliências da casca do seu caule. Em abril, o lilás e o roxo das quaresmeiras colorem as ruas da capital. Essas árvores se destacam principalmente em frente à SQS 114, nas adjacências do Centro de Atividades (CA) do Lago Norte e próximo à Praça das Fontes, no Parque da Cidade. Já em junho, começa a temporada dos ipês, as árvores mais conhecidas dos brasilienses. A cidade fica colorida de roxo, com flores que permanecem firmes aos pés até setembro. Mas o arco-íris começa a se formar em julho, quando entram em floração os ipês-amarelos. Depois vem o ipê-rosa – tonalidade um pouco mais clara que o roxo –, o branco e o verde. Até outubro há ipês florindo. Dependendo do clima, as espécies podem florir até duas vezes por ano.

Todo o DF tem em torno de 600 mil ipês, com maior concentração no Plano Piloto. Mas essas árvores também estão presentes na maioria das regiões administrativas. Embelezam o percurso dos motoristas que trafegam diariamente pelo Eixão Norte e Sul. Projetam sua beleza de longe, podendo ser avistadas nas quadras 404 e 216 da Asa Norte, na tesourinha da 114 Sul e na altura do Sesc da 504 Sul. As cores dos ipês obedecem a uma ordem de floração, atraindo olhares e cliques dos mais variados espectadores no Distrito Federal. Somente no Plano Piloto são aproximadamente 200 mil exemplares da espécie.

Os ipês, de uma forma geral, atingem o estágio adulto em aproximadamente dez anos e a duração das flores é de 15 dias em média, sendo que uma árvore pode florir mais de uma vez durante o período seco. Como as árvores não florescem todas ao mesmo tempo, a floração de uma mesma cor pode durar até dois meses, dependendo das condições climáticas. As mudas de ipê são plantadas nas áreas verdes em período chuvoso do ano, sendo nativas e adaptadas ao clima do cerrado. Todas as mudas de árvores e flores plantadas pela Novacap no DF são provenientes dos viveiros da Companhia.

Outra atração que compõe o cartão-postal da cidade são os flamboyants, que começam a ficar floridos com o fim da seca, em outubro. A floração vai até dezembro. São apenas 8 mil árvores dessa espécie no Plano Piloto, mas a coloração alaranjada e vermelha das flores destaca a copa na paisagem da capital. As principais espécies podem ser vistas no canteiro leste do Eixão Sul (em frente às superquadras 209, 210 e 211), em frente ao Tribunal de Justiça do DF (TJDFT), no Eixo Monumental (em frente à Praça do Buriti), no canteiro central da Estrada Parque Dom Bosco e no Lago Sul, e ainda em cidades como Brazlândia, Sobradinho, Planaltina, Gama e Taguatinga.
Arborizar uma cidade não é uma tarefa puramente ornamental. As árvores purificam o ar, proporcionam sombra, abrigam a fauna, atenuam a luminosidade excessiva da capital, melhoram a umidade do ar, reduzem a ação dos ventos, diminuem ruídos e impactos sonoros e proporcionam conforto ambiental.

No período de estiagem, são utilizadas flores de espécies resistentes ao sol e calor como as camomilas, cravos, dálias, flocos, perpétuas, petúnias e sálvias. Além das zíneas, com uma grande variedade de cores. No período de chuva, mesmo tendo menos opções, Brasília segue florida. Com espécies que sobrevivem ao solo encharcado.

Para manter nossa cidade bonita e segura, quando temos fortes chuvas e ventos, a Novacap faz as podas preventivas. Nelas são avaliados se a árvore está saudável, ou sofrendo alguma patologia. Se estiver doente, ou se os galhos estiverem apresentando algum risco para pedestres e motoristas, realiza-se a poda. Mas se ela estiver em fase de declive, será suprimida. Ao longo dos anos da cidade, muitas das árvores já cumpriram seu papel e foram vencidas pelo tempo ou pela própria ação da mãe natureza e, por isso, precisaram ser retiradas.

Os moradores do Distrito Federal que encontrarem árvores em situações que possam gerar transtornos devem entrar em contato com a Novacap pelo número 3403-2626. Em poucos dias, engenheiros florestais da companhia irão ao local para avaliar as condições e tomar as providências necessárias. Já no caso de o cidadão considerar que a árvore pode cair subitamente, deve entrar em contato com o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal pelo telefone 193.
Destruir, danificar, lesar ou maltratar plantas em endereços públicos ou privados é crime previsto em lei. É o que prevê o artigo 49 da lei nº 9.605/1998, que dispõe sobre as condutas lesivas ao Meio Ambiente. A pena é de detenção, de três meses a um ano, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.

Para denunciar atos de vandalismo ou furtos, basta ligar para a Ouvidoria da Novacap, no telefone 3403-2626, ou na Polícia Civil, pelo número 197.

Site de notícias de Brasília. Notícias sobre Distrito Federal, Brasil, cultura, saúde, gastronomia, nacionais e internacionais.

CONTINUE LENDO
Publicidade
CLIQUE PARA COMENTAR

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasília

Pietra Almeida

Vanessa Castro

Publicado

Em

 

Dona de uma desenvoltura ímpar, a atriz, modelo e repórter Pietra Almeida é o centro das atenções desde pequena.

Cresceu fazendo sucesso nas redes sociais, em constantes aparições na mídia e entrevistas, com mais de 60 mil seguidores no Instagram, a adolescente compartilha seu dia a dia de estudante, a convivência com os amigos e a família, dicas de restaurantes e gastronomia e muita dança.

Para acompanhar no Instagram @pietraalmeida

CONTINUE LENDO

Brasília

Restaurante Universal participa da 29ª edição do festival Restaurant Week Brasília 2024

Cadê Brasília

Publicado

Em

Foto: Divulgação

Casa oferecerá menu em três etapas por R$ 89,00 no almoço e R$ 109,00 no jantar.

 

Mais uma edição da nova temporada do Restaurant Week Brasília. O maior festival gastronômico inicia na próxima sexta-feira (23/02) e vai até o dia 24/03. O evento, que promete movimentar a capital federal, terá a participação do Restaurante Universal. O tema desta edição será “Biomas brasileiros: uma jornada gastronômica pela diversidade natural”. A comida terá o tempero de diversas regiões brasileiras, passando pelo Cerrado, Pantanal, o Nordeste e a Amazônia.

 

Localizado na Asa Sul, a casa se destaca com pratos que prometem encantar o paladar dos brasilienses pelo tempero e qualidade, unindo sabor e texturas para uma experiência gastronômica sem igual.O restaurante traz um incrível menu em três etapas, preparado especialmente para a ocasião pelo chefe Rogério Evangelista, disponível no almoço (R$ 89) e no jantar (R$ 109, proporcionando assim uma experiência de outro mundo com acessibilidade e alta gastronomia.

 

Nas duas opções, para entrada, o cliente poderá escolher entre Tartar de salmão – tartar de salmão com pimenta dedo de moça e coulis de manga ou Mini Salada House – mix de folhas ao molho especial de mel e azeite com croûtons, queijo parmesão, mix de gergelins, crispy de alho-poró, tomate seco caseiro Universal, azeitona preta azapa e mozzarela de búfala.

 

Para o almoço, são 03 opções de prato principal: Moqueca de Pirarucu – moqueca de pirarucu com farofa de castanha do Brasil, acompanhado de arroz de coco queimado; Releitura File e Rapadura -cubos de filé mignon ao molho de rapadura, acompanhado de arroz cremoso de rapa de queijo ou Tofu Thai –  Tofu orgânico ao molho curry Universal com leite de coco a amendoim, servido com arroz tailandês cozido com páprica, abacaxi e coentro. Pode pedir “picante ou suave picante”.
No jantar, o público poderá optar por Pirarucu Brazuca -pirarucu cozido no leite de coco ao molho de aviú, acompanhado de risoto de brócolis e farofa de castanha do Brasil; Chorizo Brasileiro – bife de chorizo Vlack Angus com vinagrete de feijão brasileiros, acompanhado batata rosti, molho de ervas e farofa de cebola ou Risoto Vegano – risoto vegano de cogumelos orgânicos frescos e funghi.
E para finalizar e adoçar o paladar, a casa oferece 02 opções: Marshmallow  -marshmallow coberto com ganache de chocolate e práline de amendoim ou Chantilly de Doce de Leite  – chantilly de doce de leite com cocada baiana.
Os clientes podem ainda acrescentar R$ 2 por menu, que serão arrecadados e doados para a organização não-governamental (ONG) Amigos da Vida, que assiste crianças portadoras do vírus HIV e constrói brinquedotecas em hospitais da rede pública do Distrito Federal.
Serviço:
Restaurante Week Brasília – Universal
De 23/02 até 24/03-  almoço e jantar.
Reservas: whatsapp (61) 99861-4084 ou (61) 3443-2089
CONTINUE LENDO

Brasília

Casa Baco promove programação musical especial para o mês das mulheres no festival “Baco Conecta”

Cadê Brasília

Publicado

Em

Cantora: Rachel Alves Foto: Célio Maciel

Durante o mês de março elas conduzem a programação musical da Casa Baco. Todas as quintas e domingos um duo musical para animar as noites dos brasilienses.

 

O mês das mulheres será marcado com uma programação especial no festival ‘Baco Conecta” da Casa Baco. Em comemoração ao Dia Internacional da mulher, a casa traz grandes nomes de cantoras do cenário musical brasiliense para animar as quintas e domingos do jardim mais animado da capital federal. Sintonia, força e sensibilidade são as emoções que o mês das mulheres promete nas apresentações da Casa Baco, e de 03/03 até 31/03 a agenda cultural da Baco será exclusivamente dedicada para elas.

 

Serão 9 shows com duos só de mulheres e no dia 8 de março será oferecido um Welcome Drink para elas ao som da DJ Júlia Tavares, a Aiuri, com uma seleção incrível de discos de Vinil. A seleção musical, com curadoria de Tati dos Anjos, traz as melhores intérpretes de Brasília com apresentações de músicas autorais e também de clássicos da canção. E quem dá start aos trabalhos no dia 03/03 (domingo), é a dupla, Paula Nunes & Suzi Magalhães.

 

Paula Nunes, que é brasiliense e retorna aos palcos com seu mais recente trabalho, Uma Festa leGal, em que faz uma homenagem à Gal, sendo reconhecida na cidade por sua atuação marcante nos projetos Elis no Samba e Tributo a Eric Clapton no início dos anos 2000. Suzi Magalhães é pianista e já acompanhou diversos Festivais Internacionais da Escola de Música de Brasília e realizou diversos shows, sendo que em 2013 se concentrou em shows referentes ao centenário de nascimento de Vinicius de Moraes.

 

O Duo Paula e Suzi se formou após um longo período trabalhando juntas e daí foram descobrindo afinidades musicais. “Tenho formação em piano erudito e na escola trabalhei durante muitos anos acompanhando cantores populares. Paula tem um gosto muito parecido com o meu e sempre fui muito fã de suas interpretações e improvisos. Montamos este duo para esta apresentação com a finalidade de apresentar um repertório mais refinado da MPB. Faremos uma viagem pela boa música brasileira, bossa-nova, choro, samba e canções com um trato mais trabalhado” finalizou Suzi Magahães.  Este encontro promete.

 

Chama as amigas e vem para a Casa Baco viver essa experiência musical que vai agradar até os ouvidos mais exigentes da cena musical brasiliense.

 

Confira a programação:
03/03 – (DOM) Paula Nunes-voz & Suzi Magalhães- piano
07 /03 – (QUI) Geórgia W Alô- voz & Marlene Souza Lima- guitarra
08/03 – (sexta) DJ Jurubeba- Vinil
10/03 – (DOM) Mayara Dourado- voz e Gabi- violão
14/03 – (QUI) Rachel Alves- voz e Marlene Lima- guitarra
17/03 – (DOM) Sarani- voz e Gabi- violão
21/03 – (QUI) 31/03 – (DOM) Ana Cesário- flauta e Laila Emanuely- violão
24/03 – (DOM) Fer Monteiro- violão e Beatriz Luz- bandolim
28/03 – (QUI) Mirian Marques- voz e trombone & Ingrid Lobo- guitarra
31/03 Maísa Arantes – rabeca, voz e pife e Fer Monteiro- violão
Serviço:
Casa Baco- Casa Park
Data: Início em 03/03 até 31/03
Quintas feiras e domingos às 19h30
Couvert R$ 12,00
CONTINUE LENDO
Publicidade

Facebook

Destaques