CONECTE-SE CONOSCO

Variedades

Av – Subst. 2 – Estética e História da Arte

Cadê Brasília

Publicado

Em

Feito Por IA
1) O pintor Wassily Kandinsky foi um dos primeiros artistas a abandonar a figuração e a pintar de maneira abstrata. Quando ele contava sobre como chegou a esse ponto em sua pesquisa, dizia que um dia, ao entrar em seu estúdio: “fui subitamente confrontado com um quadro de indescritível e incandescente beleza. Intrigado, parei para olhar. O quadro não tinha tema algum, não representava qualquer objeto identificável e era totalmente composto de manchas de coloridas. Por fim, aproximei-me e, somente então, reconheci o que era – meu próprio quadro, virado de lado no cavalete” (Kandinsky apud STRICKLAND, Carol. Arte Comentada – da Pré-História ao Pós-Moderno. Rio de Janeiro: Ediouro, 1999, p. 143). Sobre o Abstracionismo, é verdadeiro afirmar que: ( ) É uma arte que é feita sem ter como fim representar qualquer objeto reconhecível. ( ) Pode ter duas vertentes, uma voltada para expressar mais os sentimentos do artista por meio da cor, outra que deseja demonstrar a pesquisa sobre a forma. ( ) Além de Kandinsky, podemos citar Kasimir Malevich e Piet Mondrian como artistas que chegaram à abstração por diferentes caminhos. Agora assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:. Alternativas: a) V – V – V. b) F – V – V. c) F – F – F. d) F – V – F. e) F – F – V.
2) Pós-impressionismo é um termo cunhado pelo crítico e artista inglês Roger Fry (1866-1934) (DEMPSEY, 2010, p. 45), trata-se de um fenômeno ocorrido em Paris e foi consequência direta das aberturas artísticas promovidas pelos Impressionistas, constituído por artistas que desenvolveram suas atividades entre 1880 e 1905. Fizeram parte deste grupo diversos artistas, mas vamos destacar aqui: Georges Seurat (1859-1891), Paul Gauguin (1848-1903), Paul Cézanne (1839-1906) e Vincent VanGogh (1853-1890). Se os impressionistas entre si já divergiam na forma como pintavam, nos pós-impressionistas não é um estilo ou forma de pintar que é similar, mas a postura. Cada um concebe e segue uma linguagem própria, no entanto, podemos identificar duas grandes tendências entre eles: por um lado, os que se concentravam no desenho e na construção quase científica do quadro e, por outro, os que enfatizavam a expressão da emoção por meio das sensações advindas da luz e cor. (Dempsey, Amy. Estilos, Escolas & Movimentos. São Paulo: Cosac Naify, 2010, p. 45). Associe as características estilísticas de cada artista: I. Artistas que se concentravam no desenho e na construção quase científica do quadro II. Artistas que enfatizavam a expressão da emoção por meio das sensações advindas da luz e cor. 1. Georges Seurat 2. Paul Gauguin 3. Paul Cézanne 4. Vincent VanGogh Assinale a alternativa que contém a sequência correta de associação: Alternativas: a) I – 1 e 2; II – 3 e 4. b) I – 1 e 3; II – 2 e 4. c) I – 1 e 4; II – 2 e 3. d) I – 2 e 3; II – 1 e 4. e) I – 2 e 4; II – 1 e 3.
3) Figura – Centre Georges Pompidou Pomp Piano e Rogers, Centre Georges Pompidou (Beaubourg), Paris, França. Licenciado sob CC BY 3.0, via Wikimedia Commons. Photo: Attila N. Disponível em: <https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Pompidou_Center_-_panoramio.jpg>. Acesso em: 23 ago. 2017. “Nos anos setenta e oitenta os designers trocaram os bancos Barcelona inspirados em Mies e as cadeiras de Breuer por bancos Adirondack e cadeiras de balanço Shaker. Formou-se um consenso de que o Modernismo inspirado na Bauhaus era, segundo um crítico, ‘morte polida’. Os prédios no estilo internacional baseados na grade e na folha de vidro haviam se multiplicado a tal ponto que eram o estilo residencial dos quartéis-generais corporativos em todo o mundo. Os críticos denunciavam sua anonimidade e ansiavam por paixão e personalidade.” (STRICKLAND, Carol. Arte comentada: da Pré-história ao Pós-moderno. Rio de Janeiro: Ediouro, 1999, p. 180). Complete as lacunas da sentença a seguir: A arquitetura da virada do século XX para o XXI busca se livrar da linguagem estabelecida pela __________ e por todo o Estilo Internacional. Os novos __________ desejam insuflar a sua personalidade nos projetos arquitetônicos e, assim como na arte, a lógica das __________ tem início na arquitetura também. Normalmente, essas apropriações não são referentes à tecnologia construtiva empregada, mas sim, para remeter, de maneira imediata, a alusão às __________ reconhecíveis do passado àqueles que veem e usufruem da obra. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. Alternativas: a) Bauhaus – arquitetos – apropriações – formas. b) arte – designers – colagens – obras. c) vida – agentes – pinturas – passagens. d) arte – agentes – colagens – passagens. e) Bauhaus – designers – pinturas – obras.
4) “A arte cinética é a arte que se move ou que parece se mover. De acordo com o romancista Umberto Eco, é ‘uma forma de arte plástica na qual o movimento das formas, cores e superfícies é o meio para se obter um todo cambiante’. Trata-se de uma definição que abrange não apenas o tipo mais direto de arte cinética, incorporando o movimento real ao objeto de arte, mas também a variedade de outros tipos que envolve um movimento virtual criado opticamente (Op Art).” (DEMPSEY, 2010, p. 197). Complete a lacuna da sentença a seguir sobre Arte Cinética: Arte Cinética é uma forma artística inclui o __________ no objeto artístico, porém não a ­­__________ do movimento (isto já era presente nas pinturas rupestres nas paredes de Lascaux e Altamira), mas a __________ do mesmo na obra de arte. Agora assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas: Alternativas: a) desenho – cor – colocação. b) movimento – representação – incorporação. c) formato – ligadura – reunião. d) lúdico – cor – desunião. e) erro – forma – instalação.
5) “O termo happening é criado no fim dos anos 1950 pelo americano Allan Kaprow (1927-2006) para designar uma forma de arte que combina artes visuais e um teatro sui generis, sem texto nem representação. Nos espetáculos, distintos materiais e elementos são orquestrados de forma a aproximar o espectador, fazendo-o participar da cena proposta pelo artista. Os eventos apresentam estrutura flexível, sem começo, meio e fim. As improvisações conduzem a cena – ritmada pelas ideias de acaso e espontaneidade – em contextos variados como ruas, antigos lofts, lojas vazias e outros. O happening ocorre em tempo real, como o teatro e a ópera, mas recusa as convenções artísticas. Não há enredo, apenas palavras sem sentido literal, assim como não há separação entre o público e o espetáculo. Do mesmo modo, os “atores” não são profissionais, mas pessoas comuns. O happening é gerado na ação e, como tal, não pode ser reproduzido. Seu modelo primeiro são as rotinas e, com isso, ele borra deliberadamente as fronteiras entre arte e vida.” (HAPPENING. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo3647/happening>. Acesso em: 17 ago. 2017. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7). Com base no texto exposto e no que você aprendeu nesta seção, avalie as afirmações a seguir: I. No happening, a estrutura do que vai ser atuado é flexível e não tem a ideia de ordem narrativa de começo, meio e fim. II. Neste formato artístico, não há separação entre público e espetáculo III. No happening há articulação com outras formas artísticas, ampliando o campo de atuação da arte e quebrando as categorizações tradicionais. Sobre happening, é correto o que se afirma em: Alternativas: a) I, apenas. b) I e II, apenas. c) I e III, apenas. d) I, II e III. e) II e III, apenas.

  1. Sobre o Abstracionismo, é verdadeiro afirmar que:

( ✔ ) É uma arte que é feita sem ter como fim representar qualquer objeto reconhecível. ( ✔ ) Pode ter duas vertentes, uma voltada para expressar mais os sentimentos do artista por meio da cor, outra que deseja demonstrar a pesquisa sobre a forma. ( ✔ ) Além de Kandinsky, podemos citar Kasimir Malevich e Piet Mondrian como artistas que chegaram à abstração por diferentes caminhos.

Sequência correta: (b) F – V – V.

  1. Associe as características estilísticas de cada artista:

I. Artistas que se concentravam no desenho e na construção quase científica do quadro

II. Artistas que enfatizavam a expressão da emoção por meio das sensações advindas da luz e cor.

  1. Georges Seurat
  2. Paul Gauguin
  3. Paul Cézanne
  4. Vincent VanGogh

Sequência correta: (b) I – 1 e 3; II – 2 e 4.

  1. Complete as lacunas da sentença a seguir:

A arquitetura da virada do século XX para o XXI busca se livrar da linguagem estabelecida pela __________ e por todo o Estilo Internacional. Os novos __________ desejam insuflar a sua personalidade nos projetos arquitetônicos e, assim como na arte, a lógica das __________ tem início na arquitetura também. Normalmente, essas apropriações não são referentes à tecnologia construtiva empregada, mas sim, para remeter, de maneira imediata, a alusão às __________ reconhecíveis do passado àqueles que veem e usufruem da obra.

Alternativa correta: (a) Bauhaus – arquitetos – apropriações – formas.

  1. Complete a lacuna da sentença a seguir sobre Arte Cinética:

Arte Cinética é uma forma artística inclui o __________ no objeto artístico, porém não a ­­__________ do movimento (isto já era presente nas pinturas rupestres nas paredes de Lascaux e Altamira), mas a __________ do mesmo na obra de arte.

Alternativa correta: (b) movimento – representação – incorporação.

  1. Com base no texto exposto e no que você aprendeu nesta seção, avalie as afirmações a seguir:

I. No happening, a estrutura do que vai ser atuado é flexível e não tem a ideia de ordem narrativa de começo, meio e fim. II. Neste formato artístico, não há separação entre público e espetáculo III. No happening há articulação com outras formas artísticas, ampliando o campo de atuação da arte e quebrando as categorizações tradicionais.

Sobre happening, é correto o que se afirma em:

Alternativa correta: (d) I, II e III.

Site de notícias de Brasília. Notícias sobre Distrito Federal, Brasil, cultura, saúde, gastronomia, nacionais e internacionais.

CONTINUE LENDO
Publicidade
CLIQUE PARA COMENTAR

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasília

CEUB oferece atendimento de Pediatria para a comunidade no DF

Cadê Brasília

Publicado

Em

CEUB - Divulgação

Serviço é destinado a pacientes desde recém-nascidos até adolescentes

 

O Centro Universitário de Brasília (CEUB) oferece atendimento especializado em Pediatria, visando acompanhar a saúde de crianças e adolescentes. A partir de taxa popular de R$ 40, a comunidade do Distrito Federal tem acesso a consultas conduzidas por médicos professores, orientadores de práticas e estagiários do curso de Medicina da instituição.

 

O agendamento pode ser realizado por meio do telefone (61) 3966-1660 ou presencialmente no CAC – Edifício União, no Setor Comercial Sul. O atendimento engloba desde pacientes recém-nascidos a adolescentes. A iniciativa é coordenada pelo Centro de Atendimento à Comunidade (CAC) do CEUB.

 

Serviço:

CEUB oferece atendimento de Pediatria para a comunidade

Atendimentos: segunda a sexta, das 7h30 às 12h e das 13h30 às 17h30

Local: Edifício União | SCS Quadra 01, 12º andar

Consulta: R$ 40 (pagamento em dinheiro, cartão de crédito ou débito)

Agendamento: https://www.uniceub.br/atendimentos-de-medicina

Telefone (61) 3966-1660

CONTINUE LENDO

Agenda Cultural de Brasília

PAPISA evoca magia da experiência passional em clipe de “Vai Passar”

Cadê Brasília

Publicado

Em

Crédito: Mooluscos

Audiovisual de ares retrô-pop e toque surreal faz parte de trilogia de clipes que artista tem mostrado aos poucos, baseada em canções do disco Amor Delírio

Assista ao videoclipe de Vai Passar

e quando acontecer

do sol brilhar

me procura

deixa brilhar

Depois de mostrar o envolvente segundo álbum da carreira, Amor Delírio,  a compositora e multi instrumentista PAPISA segue percorrendo os caminhos do trabalho produzido por Felipe Puperi. A novidade é o clipe amoroso, divertido e delicado feito para a faixa Vai Passar. Num clima entre a euforia e a fantasia, o audiovisual evoca a magia da experiência passional, fundamental às vivências afetivas que, num ciclo, virão e também irão ao longo da vida. “Vai Passar” estará disponível no canal oficial de Papisa nesse dia 12 de Junho, Dia dos Namorados.

O clipe, que tem direção de Mooluscos, responsável pelo videoclipe de Amor Delírio – trabalho que abre o arco narrativo da trilogia e representa sua parte final – corresponde ao início do processo amoroso. O terceiro audiovisual ainda será lançado, completando a trilha emocional abordada. Falar de amor abre novo caminho temático para Rita Oliva, a Papisa, que nos trabalhos anteriores abordou aspectos do místico e do inconsciente, a morte e a ciclicidade do tempo.

Segundo Mooluscos, diretor do clipe, a obra “apresenta o primeiro encontro do casal. Usamos o plano sequência para trazer essa sensação de encontro momentâneo e conexão instantânea (…) falamos muito sobre essa paixão imediata que também beira o delírio de uma forma diferente.”

Conhecida pelos shows ritualísticos e sensoriais e pela sonoridade dream-indie-pop, a artista agora investiga o poderoso sentimento que move as marés humanas. Tendo passado por importantes palcos nacionais e apresentado seu trabalho nos Estados Unidos, nos festivais SXSW, em Austin, New Colossus Festival, em Nova York e Treefort Fest, em Boise, e em Portugal, ela prepara novos shows que acompanham o lançamento de Amor Delírio. As próximas datas são em Brasília e Sorocaba.

O encontro com o público um Brasília acontece dia 30/06. O evento gratuito tem como palco a Infinu Comunidade Criativa. A abertura do show fica por conta da dupla de rockrage YPU, outra favorita das plateias brasilienses. Convites podem ser retirados através do Sympla. No dia 20/07, a turnê passa por Sorocaba, no Falso Bar, parte do LoboFest (antigo Lobotomia), já tradicional na cidade. Detalhes dos eventos podem ser acompanhados através do perfil de PAPISA.

AGENDA

30/06 Papisa + Ypu no Infinu – Brasília (DF)

20/07 Papisa no Falso Bar – Sorocaba (SP)

Fotos e Stills: Vai Passar – Papisa

Ficha Técnica: Vai Passar – Papisa

PAPISA

Instagram

Youtube

Tik Tok

Newsletter- inscreva-se 

CONTINUE LENDO

Brasília

Longa do DF estreia no Festival Internacional de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás

Cadê Brasília

Publicado

Em

Gregório Benedives como Benedito, Benedito não esta bem - Divulgação

“Casebre” será exibido pela primeira vez ao público no dia 13 de junho de 2024, em
Goiânia

 

A 9ª edição do Festival Internacional de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero de
Goiás tem entre os selecionados para a mostra competitiva o longa brasiliense
“Casebre” (2024), de Henrique Raynal, e tem no elenco o famoso palhaço e diretor Zé
Regino e Márcia Costa, ganhadora do prêmio de Melhor Atriz do 51º Festival de
Brasília do Cinema Brasileiro. A exibição na programação do DIGO também marca a
estreia do filme para o público.

Com a presença dos produtores, da equipe técnica e do elenco, “Casebre” será exibido
no próximo dia 13 de junho, às 21 horas, no Cine Cultura de Goiânia.
O filme conta a história de Benedito (Gregório Benevides), um jovem que está infeliz
com a própria vida, enfrentando uma grande perda e descobrindo sua ancestralidade.
Feito por profissionais e artistas do Distrito Federal, “Casebre” é um filme
independente gravado no Areal, periferia da capital brasileira.

“É um mergulho de brasilidade moderna, suas questões e diversidades. Tendo como
palco uma cidade do interior que poderia estar em qualquer lugar do Brasil, passando
por temas como fé, sexualidade e saúde mental”, explica a sinopse. “É sobre recuperar
a nossa identidade”.

Esse ano, o Festival Internacional de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero de
Goiás tem como tema “Eu Digo amor é amor”.

O evento recebeu 457 obras para avaliação dos curadores, que selecionaram 40
produções, entre longas, médias e curtas-metragens, nacionais e internacionais. O
DIGO 2024 acontece de 12 a 19 de junho de 2024 em Goiânia.

O filme “Casebre” é um longa-metragem realizado a partir do Edital FAC Brasília
Multicultural, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF. No festival, o filme
concorre à premiação na categoria de longas.

Os ingressos e outras informações estão no site oficial: https://digofestival.com.br

Ficha Técnica
CASEBRE (Brasil; 2024; Ficção, Cor, 88min.)
Elenco: Gregório Benevides, Paula Passos, Zé Regino, Márcia Costa, Bia Brandão, José
de Campos, Bárbara Albuquerque, Jude, Tainá Cary, Micheli Santini, Lucas Sued, Kalebe
Lizan, Kairon Angelo, Larissa Cintra e Rodrigo Issa

Produção: H. Raynal, Thais Uessugui, Henfil e Isaac Marques
Assistentes de Produção: Bruna Hernandes e Rhanna Rebelo
Dir. de Fotografia: Renato Villas
Assistente de Fotografia: Conrado Nobre
Edição: Rafael Melo
Supervisão de Som: UEMA, Téc. de Som: Luiz Mateus
Caracterização: Isaac M.
Apoio: Ile Asé Logum Cetomi, Aicon-Ações Cinematográficas, Posh Locadora, Miryan
Braz
Mais informações no Instagram: @casebreofilme

CONTINUE LENDO

Destaques